Olá!

Somos o Timbre. Um espaço de opinião sobre música vibrando em novas frequências.

Ruins - First Aid Kit

Ruins - First Aid Kit

first-aid-kit-ruins-album-art.jpg

Ruins

First Aid Kit
Columbia
Janeiro/2018
Folk, Country
O que achamos: Fraco

A dupla sueca, composta pelas irmãs Klara e Johanna Söderberg, lança seu quarto álbum, Ruins, mostrando a potência dos vocais e a importância da história da dupla. Cercadas de música por todos os lados desde cedo - Klara escreveu sua primeira música com 6 anos, e o pai das irmãs foi responsável por produzir alguns de seus trabalhos -, tornaram-se famosas mundialmente quando o cover de "Tiger Mountain Peasant Song", do Fleet Foxes, foi divulgado por Robin Pecknold na página da banda. Desde então, conquistaram espaço na cena da música atual, fazendo parcerias com grandes músicos, como Jack White e Conor Oberst.

Aliás, grandes influências não faltam para a dupla - é possível encontrar covers de Patti Smith, Bob Dylan, Leonard Cohen e até Black Sabbath no canal delas no YouTube. E, ao menos tratando-se das grandes influências de folk e country, é perceptível, não só em Ruins mas também em toda a carreira da dupla, o impacto que escutar grandes artistas tem na música do First Aid Kit.

Em Ruins, quarto álbum da dupla, recebemos uma bela surpresa com a música de abertura, “Rebel Heart”, que tem um clima grandioso, com a percussão marcada para além do habitual, sem deixar de lado as harmonias de voz e melodias de country, que persistem por todo o álbum. Em “Fireworks”, destaque do álbum, Klara e Johanna mostram, com a alternância entre os vocais e os backing vocals melancólicos, a habilidade que têm não só de escrever grandes músicas, mas de construir um cenário dramático em um espaço de poucos minutos com precisão. “Postcard” e “Distant Star” também ilustram o belo trabalho das irmãs e o peso das influências country no First Aid Kit.

Entretanto, se o trabalho com a harmonia, os instrumentos e as influências trazem homogeneidade para Ruins, por vezes, alguns aspectos do álbum deixam a desejar. Faixas como “Rebel Heart” e “My Wild Sweet Love” levantam as expectativas até o alto, mostrando a influência de gêneros e instrumentais pouco explorados pela banda, mas seguem, da metade para o final, como a maioria das músicas do First Aid Kit. Além disso, a melancolia característica da dupla se mostra frequentemente evasiva, pouco significativa, o que é transmitido em alguns trechos das faixas de Ruins. Exemplo disso é a faixa “Nothing Has To Be True”, que começa com: “Each and every breath we take/ A step towards death/ And the moon is pale/ And we might have seen something/ But we ain't seen nothing yet”. Essa característica fica clara em “Rebel Heart”, na qual a frase “Nothing matters, all is futile” se repete, ecoando no vazio.

O quarto disco da dupla sueca apresenta algumas inconsistências, mas não o suficiente para que se esqueça a qualidade da música apresentada pelas irmãs Klara e Johanna desde seus primeiros covers no YouTube. A junção das vozes, da carga de sentimento e das letras introspectivas dá um tom particular ao First Aid Kit, que parece navegar por emoções pessoais e inspirações variadas para buscar um jeito especial de fazer música e tocar tantas pessoas, como têm feito e sem dúvida continuarão fazendo.

Crise - Rashid

Crise - Rashid

I can feel you creep into my private life - Tune-Yards

I can feel you creep into my private life - Tune-Yards