Olá!

Somos o Timbre. Um espaço de opinião sobre música vibrando em novas frequências.

SATURATION III - Brockhampton

SATURATION III - Brockhampton

brockhampton-apple-1513358675-640x640.jpg

SATURATION III

Brockhampton
Empire Distribution
Dezembro/2017
Rap
O que achamos: Muito Bom

O coletivo musical Brockhampton é o exemplo perfeito de uma associação artística na era pós internet. O grupo se conheceu, em sua maioria, por meio de um fórum de fãs de Kanye West. Caracterizados por sua multidisciplinariedade, seus membros vão desde rappers a diretores de arte, de forma que são praticamente auto suficientes como agência criativa e selo musical. Há algo mais millennial que isso?

Mesmo com tudo isso, o mais impressionante sobre o coletivo tem sido a sua trilogia Saturation, lançada em três álbuns ao longo de 2017, num total inacreditável de 48 faixas, misturando rap, hip hop e R&B de forma explosiva, contagiante e diversificada.

A consistência do material, que consegue mostrar excelente produção e alto apelo pop (são mais refrãos pra grudar na cabeça do que o meu cérebro consegue gravar), é surpreendente. Destaque também para a excelente exploração de temas LGBT, que têm conseguido ocupar cada vez mais espaço no rap e hip hop ultimamente, quebrando os paradigmas do que é um rapper nos dias atuais, junto com Tyler, The Creator e o coletivo Odd Future.

Saturation III é o último momento da trilogia e uma continuação perfeita dos dois álbuns anteriores, sendo possivelmente o melhor da saga. Se ouvido em um shuffle com os demais, seria difícil apontar quais faixas são de qual Saturation, já que seus temas explorados, tanto melódicos quanto líricos, se mantém consistentes e dão reset durante toda a trilogia. Mas Saturation III reflete uma maior maturidade e unificação das ideias do grupo ao longo do álbum, especialmente nas faixas “Zipper” e “Alaska”.

Talvez a perfeita consistência dos Saturations tenha trabalhado contra a trilogia como um todo, que poderia ter se beneficiado de contar uma história com começo, meio e fim. Agora que temos o encerramento da obra, percebe-se claramente que o grupo está sob total controle da sua produção coletiva frenética e independente, mas sente-se falta de um enredo, o que me leva a pensar que a sua história está longe de ser contada e que algo ainda maior virá do próximo álbum do grupo, Team Effort.

Huncho Jack, Jack Huncho - Travis Scott & Quavo

Huncho Jack, Jack Huncho - Travis Scott & Quavo

Lady Bird (Original Motion Picture Soundtrack) - Jon Brion

Lady Bird (Original Motion Picture Soundtrack) - Jon Brion