Olá!

Somos o Timbre. Um espaço de opinião sobre música vibrando em novas frequências.

Rifles and Rosary Beads - Mary Gauthier

Rifles and Rosary Beads - Mary Gauthier

DIGITAL+COVER+OFFICIAL+3000X3000.jpg

Rifles and Rosary Beads

Mary Gauthier
Proper Records
Janeiro/2018
Folk
O que achamos: Bom

O trauma é uma questão que, independente de sua origem, exige um tratamento de muita sensibilidade e inteligência emocional para que possa ser desenvolvido numa obra de arte. De outro modo, acaba-se caindo em imprecisões, grosserias, e insultos na tentativa de se representar um tipo de dor muito específico e forte, conhecido apenas pelas suas vítimas, sobreviventes de situações extremas, como a guerra. Mary Gauthier, em seu oitavo álbum de estúdio, entendeu isso quando decidiu fazer da temática da obra o trauma sofrido pelos veteranos de guerra dos EUA e, para alcançar tal feito, colaborou com os próprios veteranos e seus familiares na composição das músicas presentes em Rifles and Rosary Beads.

O folk e o country da cantora de 55 anos, ritmos tão americanos, se tornam muito mais fortes ao serem usados para falar de um problema nacional: a negligência do Estado para com essas pessoas. Sem entrar em críticas aprofundadas à instituição da guerra e da violência sistematizada, o álbum reserva suas reclamações ao Estado e aproxima o foco nos conflitos emocionais dos combatentes, que ao voltarem da guerra, são forçados a travar novas batalhas (“The War After The War”).

De fato, é um tema de difícil incursão. Centenas e centenas de estudos sobre a guerra moderna são publicados todos os anos e a humanidade ainda não consegue vislumbrar uma forma de compreender todas as suas implicações, mas Rifles and Rosary Beads evita dar passos maiores que suas pernas e foca na intimidade humana. Em seus 44 minutos, o disco é bem sucedido em extrair a poesia, mesmo que triste e revoltante, na complicada realidade.

Quase todas as músicas possuem um tom triste e de forte carga emocional, com destaque para “Bullet Holes in the Sky”, que põe a comemoração o Dia dos Veteranos na perspectiva de um que se encontra deprimido, buscando sinais divinos por trás dos “buracos no céu”. A faixa evidencia a preocupação em acompanhar a carga emocional das canções com um instrumental denso, que abraça em seu folk guitarras elétricas e arranjos de piano.

Como uma obra que visa contemplar a guerra moderna, Rosary Beads busca retratar a ambiguidade moral e o conflito de sentimentos que reside em alguém que já esteve numa situação de guerra. Além disso, ela toca em temas como feminismo, lembrando das combatentes mulheres (“Brothers”), e conclui que o verdadeiro inimigo não são outros países (“Iraq”).

Histórias assim não são fáceis de ser contadas, especialmente pelas pessoas que as viveram, o que torna Rifles and Rosary Beads uma obra de extrema importância no processo de cura das vítimas e veteranos de guerra e seus familiares. Da mesma forma, é um disco que encontra propósitos sociais e altruístas no folk e na música em si. Que coisa mais engrandecedora.

Snares Like a Haircut - No Age

Snares Like a Haircut - No Age

A trilha sonora de Crepúsculo, 10 anos depois

A trilha sonora de Crepúsculo, 10 anos depois