Olá!

Somos o Timbre. Um espaço de opinião sobre música vibrando em novas frequências.

Jungle Kid - Cleo

Jungle Kid - Cleo

1200x630bb-1-1.jpg

Jungle Kid

Cleo
Independente
Março/2018
Diversos
O que achamos: Fraco

Até então reconhecida como atriz, Cléo Pires lança seu primeiro EP. Nomeado Jungle Kid, o título remete à formação pessoal da artista.

Talvez, assim como eu, você deva estar se perguntando o que Cléo Pires foi fazer na música. Em entrevista ao Portal POPline, Cléo disse que sempre se viu como uma rockstar. A agora cantora disse que desde pequena pensava em seguir o caminho musical, mas não o fez. Mas será que a empreitada deu certo?

Com cinco faixas, Jungle Kid traz três em inglês e duas em português. Os ritmos são variados e as letras tratam sobre relações. Justificando o fato de preferir inglês por ter sido alfabetizada no idioma e se expressar através dele com maior facilidade, a diferença é perceptível. Em inglês, as músicas são até ouvíveis, mas em português o desastre é completo.

Nas faixas na língua inglesa, é fácil a atenção ir para os arranjos, que são os salvadores do EP. Já em português, é difícil negar que as letras são repetitivas e rasas. Se o propósito era fazer algo puramente comercial, talvez Cléo tivesse sucesso se não fosse mal vista por boa parte do grupo com o qual seu EP se encaixa.

Para uma pessoa que foca nas letras, minha recomendação à quem se arriscar a ouvir é se atentar às melodias. Mesmo comparada com Lana Del Rey e Lorde, o que temos é um projeto fraco. A sensação é de que as letras foram escritas por uma adolescente. O instrumental - que não deixou a nota cair para "péssimo" - parece ter sido construído com base no que é vendável hoje em dia.

Em suma, Cléo Pires disse sempre ter se sentido uma rockstar. Infelizmente, Jungle Kid nos mostra que o caminho entre se sentir e realmente ser é longo.

Sex & Food - Unknown Mortal Orchestra

Sex & Food - Unknown Mortal Orchestra

Freedom - Amen Dunes

Freedom - Amen Dunes