Olá!

Somos o Timbre. Um espaço de opinião sobre música vibrando em novas frequências.

Homens de Melo - Homens de Melo

Homens de Melo - Homens de Melo

Homens de Melo

Homens de Melo
Independente
Março/2018
Rock, Psicodélico
O que achamos: Muito Bom

Homens de Melo é uma banda de São José de Campos, SP, que acaba de lançar seu primeiro álbum. Apesar disso, eles estão na estrada já há 10 anos, e ouvindo o som do álbum de estreia autointitulado fica evidente que eles caminham com a maturidade de veteranos, tocam com o talento e a criatividade de astros do rock, escrevem com a sensibilidade expressiva dos poetas, dos cronistas e dos músicos completos que, de fato, são. Orientados pela produção de Diego Xavier (da banda Bike), o lançamento autointitulado do Homens de Melo atesta a força presente na quietude gritante da banda.

 FOTO POR  JÚLIO LIMIRO

FOTO POR JÚLIO LIMIRO

Começa contemplativo e calmo: "Lá Sei" situa a banda nessa perspectiva "do lado de fora, olhando pra dentro" e constitui uma meditação brilhante sobre temas sociais e existenciais. A ambição da faixa se sustenta muito bem nas letras muito bem construídas do vocalista Gabriel Sielawa, que amarra muito bem a contemplação proposta no instrumental paciente, aguardando a deixa para a explosão sonora que vem no clímax da canção.

Ficamos então atentos ao que Homens de Melo passa a nos oferecer: um álbum de estreia de instrumentais deliciosos e letras atemporais, completo, erguendo-se sob seus próprios pés enquanto colhe referências e as transforma para criar um som genuíno (Radiohead, Warpaint, King Krule). Em "Cem Anos" a poesia se destaca tanto nas letras quanto nos baixos brilhantes de Luise Martins, ganhando na simplicidade potente.

E essa simplicidade só brilha porque, além de muito talentosos, os integrantes do Homens de Melo fazem questão de mostrar que sua música vem de um lugar de muita emoção e inspiração. Nada nunca soa robótico, opaco ou artificial. É possível perder noção do tempo e do espaço durante os pouco mais de dois minutos da excelente "Elétrica", por exemplo, que floresce em arranjos vocais maravilhosos e numa psicodelia tímida de sua produção.

A sétima faixa, "Ponta de Faca", desenha uma visão de mundo perigosa que é acompanhada pelos instrumentais crescentes da faixa, que parecem ganhar vida própria conforme a canção progride. A letra expressa uma atitude de força e resiliência diante de uma realidade dura e frustrante, revelando uma das composições nacionais mais belas e bem construídas em tempos recentes, com versos complexos que refletem a dificuldade da jornada do narrador: "O vento tenta me levar pra fora de mim mesmo / Levanta e pinta o quando, o onde e pergunta o por quê / Eu penso. O tempo inventa todo o quanto eu vou levando / Meus prantos nas costas nas botas e no meu chapéu".

Pra fechar com força e brasilidade, "Odé" é uma faixa que aprofunda a banda em seu leque de influências e temas abrangidos. A banda encerra seu disco pedindo licença a Iançã, Oxalá e Oxóssi, sem deixar nenhuma dúvida sobre seu potencial de criar momentos musicais absurdamente inteligentes, preservando o sentimento de quem conhece a dor, a força e a profundidade da alma.

Com Homens de Melo, a banda de São José dos Campos mostra que está compondo algumas das obras mais complexamente belas e perspicazes da música nacional atual. Com muita maturidade, os paulistas oferecem um trabalho que coloca o sentimento e a sensibilidade no centro do palco, de modo a iluminá-los de forma crua e verdadeira.

Ouça-os no Spotify:

Freedom - Amen Dunes

Freedom - Amen Dunes

Conheça Gilber T & os Latinos Dançantes

Conheça Gilber T & os Latinos Dançantes