Olá!

Somos o Timbre. Um espaço de opinião sobre música vibrando em novas frequências.

Where We Were Together - Say Sue Me

Where We Were Together - Say Sue Me

ssm.jpg

Where We Were Together

Say Sue Me
Damnably
Abril/2018
Indie Rock
O que achamos: Excelente

Se o sentimento de ser subestimado pudesse ser expressado de uma maneira diferente, teríamos outras palavras para isso. Mas não temos. O que temos é Say Sue me, um pequeno nome que resume de forma exata esse fenômeno, já que a banda da Coréia do Sul tem tanta coisa boa a oferecer, mas continua abaixo do radar sem muito reconhecimento. Talvez pela distância geográfica ou pela barreira linguística, até mesmo a falta de promoção, não se sabe ao certo. Tudo que podemos afirmar é que esta banda sul-coreana não está tendo os holofotes que merece.

Advindo de um self titled que não teve tanto apreço quanto merecia, seu novo projeto Where We Were Together agrega o rock ao dream pop e ao punk, o ultimo com uma dosagem mais leve, uma mistura que caiu super bem. Eufórico e, ao mesmo tempo, confortante, um som veranil e familiar, que agrega memórias em um tom agridoce e desperta diversas sensações como a melancolia e a afeição. Lançado sob o selo Damnably, o álbum teve uma promoção discreta, até escassa por assim dizer, um trabalho que não merecia passar despercebido.

Where We Were Together é singelo e despretensioso, marcado pela versatilidade dos vocais, que funcionam tanto na serenidade quanto na agressividade, em equilíbrio com um instrumental inconstante e rebuscado, grande parte pelos solos de guitarras, porém bastante eloquente. É uma bela visão de noitadas, frustrações e afeto, sobre ser jovem numa realidade onde nem tudo é perfeito. Algo real e palpável é apresentado pela banda que não polpa esforços para transmitir toda essa energia jovial, um reflexo da cena sul coreana, e algo ainda mais difícil, irradiar uma sensação de boa mesmo nos momentos de frustração. Linguagem não é a única coisa que varia ao decorrer do álbum, o som também transita entre uma mansidão e agressividade, basicamente os dois moods desse trabalho, talvez fruto da pouca idade dos integrantes da banda ou por pura aleatoriedade, um dos vários acertos. Todas as canções são bem niveladas e sem tantos erros, talvez uma ou duas faixas não funcionem tão bem, mas isso não interfere no desenvolvimento do trabalho.

Com muito potencial para ser um grande nome no cenário underground, mas sem o impulso necessário para isso, Say Sue Me segue comendo pelas beiradas. Ainda subestimada, mas com uma excelente obra em mãos, um verdadeiro ato de magnificência e competência, um esboço de uma fantasia corpórea e um futuro clássico esquecido.

7 - Beach House

7 - Beach House

Beyondless - Iceage

Beyondless - Iceage