Olá!

Somos o Timbre. Um espaço de opinião sobre música vibrando em novas frequências.

Song For My Father - Horace Silver

Song For My Father - Horace Silver

00602537648450-cover-zoom.jpg

Song For My Father (Cantiga para Meu Pai)

Horace Silver
Blue Note Records
Abril / 1969
Jazz
O que achamos: Excelente

Toda semana aqui no Timbre sorteamos um álbum aclamado e um membro do site responsável por resenhá-lo para o Clubinho. Como fã inegável de jazz, não poderia estar mais feliz de ser a escolhida para reviver um clássico do gênero e, mais ainda, da Blue Note (uma das melhores gravadoras de todos os tempos, responsável por trabalhos sensacionais de gênios como Herbie Hancock e John Coltrane). 

A minha experiência de jazz, curiosamente, começou com o próprio Horace Silver, que além de ser conhecido como um exímio pianista, que misturava elementos de funk, bossa nova e música latina em geral em suas composições bebop, também é conhecido por ter sido um dos primeiros membros do combo de jazz The Jazz Messengers (Horace Silver que deu o nome), que provavelmente é um dos primeiros grupos com o qual obcequei (um verdadeiro pilar na minha formação de jazz), e um dos grupos que mais agregou talentos de jazz em toda a história (e meu baterista de jazz favorito, Art Blakey).

Nessa sua cena, Horace se destacou como um incontestável, mas difícil, talento. As histórias contam que no meio das gravações de Song For My Father, Horace, perfeccionista demais, desmanchou a banda por estar insatisfeito com os resultados (isso depois de já ter gravado algumas faixas, que ficaram no disco), juntando depois outros talentos para continuar o álbum, que por conta disso tem praticamente duas bandas. A voz decisiva e impositiva de Horace se evidencia tanto no backstage do disco quanto no som de Song For My Father. A maior parte das composições do álbum são do próprio Horace, e em muitas delas elas, o piano se destaca como a estrela principal, o verdadeiro vocalista, em tom central e servido por todos os demais instrumentos.

Mas isso não é um problema. A técnica de Horace, impecável, não chama tanta atenção quanto a sua criatividade, capaz de explorar e expandir o dinamismo do bepop, encostando no que seria o mais próximo de um groove funkeado para o gênero. Em razão desse groove, e do talento de Horace Silver em criar melodias memoráveis em sua simplicidade, Song For My Father teve muito apelo comercial, provavelmente sendo o assovio na boca de muita gente, como tem sido na minha durante a semana que antecipou essa resenha, cantarolando o saxofone flertativo da faixa título. 

John Tavares Silver, pai de Horace que é o simpático senhor na capa do disco, captura bem a essência de Song For My Father. Com a inspiração da origem portuguesa do pai de uma visita para o Brasil, o álbum consegue se aventurar com arranjos inesperados e quentes, como em "The Natives are Restless Tonight", na profunda melancolia, como em "Lonely Woman", e na leveza despreendida, como em "The Kicker", composição de Joe Henderson, que também é o saxofonista da faixa. O sorriso tranquilo de John Tavares não nega: Song For My Father é uma experiência deliciosa e memorável, essencial para qualquer fã de música.

As Melhores Músicas de Junho

As Melhores Músicas de Junho

Bon Voyage - Melody's Echo Chamber

Bon Voyage - Melody's Echo Chamber