Olá!

Somos o Timbre. Um espaço de opinião sobre música vibrando em novas frequências.

I'm All Ears- Let's Eat Grandma

I'm All Ears- Let's Eat Grandma

I'm All Ears

Let's Eat Grandman

Transgressive Records
Junho/2018
Pop, Alternative, Dream pop
O que achamos: Excelente

Lançado pelo selo da Transgressive, o segundo lançamento da dupla britânica Jenny Hollingworth e Rosa Walton é a visão do distanciamento de seu trabalho anterior e o crescimento como artista, um salto ao realismo e a noção de feminilidade politica além de uma tonalidade noturna resultando das diversas misturas que agregam o pop a musica experimental. Os responsáveis por isso são Faris Badwan, SOPHIE e David Wrench, produtores que possuem uma lista imensa de referencias e responsáveis pela produção desse trabalho que já pode ser eleito como um dos melhores do ano.

Saudosista e repleto de paixão “I’m All Ears” é um globo de luz repleto de tons vibrantes. Dotado de uma áurea etérea e oitentista, um misto de leveza e perspicácia e cheio de convicção e autoconfiança, o álbum representa um flerte a um senso de realismo diferente do usual, de forma tímida talvez, mas ainda assim um ponto intrínseco a obra do duo. O registro é multicolorido e atmosférico, resultado de uma produção inteligente em dialogo com vocais doces e atrevidos que resulta em um som sutil e dinâmico, um universo sonoro em que instrumentos reais surgem de forma tímida até ganhar atenção ao meio de tantos arranjos sintéticos matizados. Suas letras geralmente tratam sobre Feminilidade em temas recorrentes a relacionamentos afetivos como controle, insegurança, culpa e incerteza, um paralelo a um relacionamento que não funcionou tão bem abrindo as portas para a melancolia e a soturnidade.

Desta forma, Lets eat grandma demonstra ter aptidão para retratar a agonia e as dores da juventude em um trabalho repleto de personalidade e presença além de um tom provocativo que dá um charme especial às músicas. O registro é uma mostra de como fazer música pop fugindo da mesmice apostando na qualidade, coerência e na euforia, um exemplo de que o pop deve fugir dos mesmos clichês de sempre e aposta em algo diferente pra variar.

High As Hope - Florence + The Machine

High As Hope - Florence + The Machine

Consolation E.P. - Protomartyr

Consolation E.P. - Protomartyr