ícone.png

Olá!

Somos o Timbre. Um espaço de opinião sobre música vibrando em novas frequências.

Evidenciando as chagas do mundo, Jair Naves apresenta novos singles

Evidenciando as chagas do mundo, Jair Naves apresenta novos singles



Foto por Patrícia Caggegi/Divulgação

Foto por Patrícia Caggegi/Divulgação

Com dois singles lançados, Jair Naves se prepara para a estreia de seu terceiro disco solo, que deve ser apresentado nos próximos meses.

Era outubro de 2018 quando, durante um show, ouvi a máxima “é o único Jair possível” para se referir ao músico e compositor Jair Naves. Seis meses após aquela sexta-feira e com mais dois singles na conta, Jair continua se consolidando como o único possível.

Responsável pelos projetos E Você Se Sente numa Cela Escura, Planejando Sua Fuga, Cavando o Chão com as Próprias Unhas (2012) e Trovões a Me Atingir (2015) - além da banda Ludovic, clássica do underground brasileiro - o cantor retorna com um projeto de nome ainda não divulgado, mas com previsão de lançamento para o primeiro semestre deste ano.

“Houve um esforço consciente para, desta vez, escrever músicas mais diretas e mais curtas do que as do último disco”, comenta Jair.

“Minha terra é uma bomba a ponto de explodir” e “nada é mais desumano que a disputa por poder” são trechos dos dois singles lançados por Jair. “Veemente” e “Deus Não Compactua”, respectivamente, trazem uma forte visão sobre a conjuntura social nacional, bem como mundial. São visões cruas de realidades que necessitam ser expostas.

“Deus Não Compactua”, disponibilizada na última quinta-feira (28), escancara a relação entre religião como meio de alienação, fenômeno que podemos observar principalmente no cenário político contemporâneo. Nas palavras do compositor, a letra faz “uma análise sobre relações de poder e o quão baixo se chega nessa luta por ascensão no jogo social ou político”.

Diferindo de “Veemente”, que traz uma melodia densa e quase que melancólica, “Deus Não Compactua”, em seu ritmo contínuo e acelerado é uma explosão pulsante que exterioriza indignação - mas sem deixar de exigir que um dia se valha a lei do mais fraco.

A gravação e mixagem do single é de Zeca Leme (BTG Studio), a masterização é de responsabilidade de Fernando Sanches (Estúdio El Rocha). Acompanhando Jair, temos Renato Ribeiro (guitarra), Rob Ashtoffen (baixo) e Lucas Melo (bateria).

Forte é quem não tem nada a perder. Ouça aqui.

Spotify | Deezer | Facebook | YouTube | Instagram

Melhores de Março | 2019

Melhores de Março | 2019

Melhores de Fevereiro | 2019

Melhores de Fevereiro | 2019